Entendendo esse tal de JOMO e o que ele tem a ver com uma Cozy Life.

Estamos vivendo embaixo de uma cachoeira barulhenta de informação e estímulos mas até quando nos sentiremos confortáveis com esse ritmo?


Clareando alguns conceitos...


JOMO significa “joy of missing out”, ou seja, um sentimento de alegria por não saber o que está acontecendo “lá fora", sentir-se bem em estar desconectado e encarar isto como um autocuidado. Esse “lá fora” aqui eu vejo como tudo que está fora do alcance dos seus olhos, do seu corpo e do seu círculo mais próximo de contatos como a família e os amigos.


O antônimo é o FOMO ou “fear of missing out”, que traduzo aqui como o medo de ficar de fora, de perder alguma informação importante ou valioso. Quem nunca se sentiu ansioso, com inveja ou desconfortável ao ver que “todo Mundo” estava naquele show que você não, fazendo uma viagem incrível, tendo uma familia "Doriana"?


Estamos vivendo numa Era em que a nossa atenção esta muito mais voltada para a curiosidade (não no seu melhor sentido) e dispersão. Saber o que um estranho tem, como se veste, como vive, aonde ele está, o que está fazendo... Aonde isso nos leva? O que agrega para as nossas vidas? Onde estamos investindo nosso bem mais precioso - nosso tempo? Parece cliche mas o tempo não é elástico e por isso as nossas escolhas são tão importantes.



Certa vez um grande amigo escritor fez uma conta rápida que chegava à conclusão que o tempo que (em média) passamos por dia “dando likes” poderia ser o suficiente para se formar em um curso de inglês no período de poucos meses.

Agora com essas ferramentas que monitoram a nossa permanência no telefone e em cada app, fica fácil de entender (para aqueles que querem entender né) onde está o nosso ralo e fazer uma comparação do tipo: 2 horas por dia nas redes sociais = meia hora para ajeitar a casa, 1 hora fazendo a tarefa com os filhos e meia hora fazendo uma ginástica - por exemplo.


É claro que tem gente (assim como eu) que trabalha e depende das redes sociais para gerar contato, conexão, conversa... mas estamos fazendo isso com qualidade ou estamos apenas ali, divagando e sendo impactados por assuntos que muitas vezes nem escolhemos ou pior, que nos agridem, nos estimulam a consumir, gerando questionamentos tristes sobre estilo de vida, corpo perfeito, casa perfeita...

Para mim está claro que essa energia do FOMO é uma energia triste, de escassez e principalmente irreal e eu pelo menos não estou afim de vibrar nela (apesar de ja ter sido sugada por muito tempo e ainda ser uma JOMO em construção rsrs).



Voltamos então ao JOMO que é uma energia de abundância, de amor, alegre... Quando você se torna protagonista da sua própria história, você escolhe o que quer consumir, sabe o que e quem te faz bem e identifica que as melhores sensações estão presentes nesses momentos. E você quer repetir. Aí está a graça da coisa e a alegria de estar “de fora”.


E estar de fora não significa estar alienado. Significa que você pode escolher com quem e com o que você quer se conectar, onde quer estar, o que quer fazer, independente de saber se os outros vão ver ou não. Tudo isso contribui com o seu foco e produtividade, uma vez que você fez as escolhas corretas que contribuem para você ser uma pessoa melhor e alcance seus objetivos.



E para aqueles que como eu estão buscando mais JOMO, queremos conforto, estarmos próximos de pessoas e situações que nos tragam alegria e não sentir que estamos perdendo nada ali. O JOMO te permite ter controle sobre a sua vida, estar com os seus amados e fazer as suas coisas. E isso tem tudo a ver com a Cozy Life.


Uma vez que buscamos aproveitar mais o nosso tempo dentro de casa e até mesmo criar espaço na nossa rotina para o realmente importa, nada melhor do que ter um ambiente estimulante e ao mesmo tempo calmo na sua casa. Fazer do seu lar um templo onde tudo aquilo que você escolhe ter e conviver te agrada, te trás alegria e a certeza de que está fazendo algo realmente útil e no lugar certo. Sua casa, sua família e seus hábitos te preenchem com coisas boas, a ponto de você preferir estar ali do que naquele show, naquela viagem, naquela vida que não é a sua.


Hoje eu deixo aqui um convite à uma reflexão: com o quê e com que tipo de pessoas você está investindo o seu bem mais precioso? E em paralelo, como está cuidando da sua casa? Esta conta está justa? A balança está equilibrada?


Espero que tenham gostado do tema. Se fez sentido pra você e você sentiu vontade de continuar essa conversa, escreve aqui nos comentários. Adoro falar e vou adorar papear com você <3